Capítulo 9. Práticas de Teste

 

Você sempre pode escrever mais testes. Porém, você vai descobrir rapidamente que apenas uma fração dos testes que você pode imaginar são realmente úteis. O que você quer é escrever testes que falham mesmo quando você acha que eles deveriam funcionar, ou testes que passam mesmo quando você acha que eles deveria falhar. Outra forma de pensar sobre isso é com relação ao custo/benefício. Você pode querer escrever testes que te darão retorno com informação.

 
 --Erich Gamma

Durante o Desenvolvimento

Quando você precisa fazer uma mudança na estrutura interna do programa em que está trabalhando para torná-lo mais fácil de entender e mais barato de modificar sem alterar seu comportamento visível, uma suíte de testes é inestimável na aplicação das assim chamadas refatoraçõescom segurança. De outra forma, você poderia não notar o sistema quebrando enquanto você está cuidando da reestruturação.

As seguintes condições vão ajudá-lo a melhorar o código e design do seu projeto, enquanto usa testes unitários para verificar que os passos de transformação da refatoração são, de fato, preservadores de comportamento e não introduzem erros:

  1. Todos os testes unitários são executados corretamente.

  2. O código comunica seus princípios de design.

  3. O código não contém redundâncias.

  4. O código contém o mínimo número de classes e métodos.

Quando você precisar adicionar novas funcionalidades ao sistema, escreva os testes primeiro. Então, você terá terminado de desenvolver quando os testes executarem. Esta prática é discutida no próximo capítulo.

Durante a Depuração

Quando você recebe um relatório de defeito, seu impulso pode ser consertar o defeito o mais rápido possível. A experiência mostra que esse impulso não vai lhe servir bem; parece que o conserto de um defeito acaba causando outro defeito.

Você pode conter esses seus impulsos fazendo o seguinte:

  1. Verifique que você pode reproduzir o defeito.

  2. Encontre a demonstração em menor escala do defeito no código. Por exemplo, se um número aparece incorretamente em uma saída, encontre o objeto que está computando esse número.

  3. Escreva um teste automatizado que falha agora, mas vai passar quando o defeito for consertado.

  4. Conserte o defeito.

Encontrar a menor reprodução confiável do defeito vai te dar a oportunidade de examinar realmente a causa do defeito. O teste que você escreve vai melhorar as chances de que, quando você consertar o defeito, você realmente tê-lo consertado, porque o novo teste reduz a probabilidade de desfazer o conserto com futuras modificações no código. Todos os testes que você escreveu antes reduzem a probabilidade de causar diferentes problemas inadvertidamente.

 

Testes unitários oferecem muitas vantagens:

  • Testar dá aos autores e revisores dos códigos confiança de que remendos produzem os resultados corretos.

  • Criar casos de testes é um bom ímpeto para desenvolvedores descobrirem casos extremos.

  • Testar fornece uma boa maneira de capturar regressões rapidamente, e ter certeza de que nenhuma regressão será repetida duas vezes.

  • Testes unitários fornecem exemplos funcionais de como usar uma API e podem auxiliar significativamente os trabalhos de documentação.

No geral, testes unitários integrados reduzem o custo e o risco de qualquer mudança individual. Isso vai permitir ao projeto realizar [...] maiores mudanças arquitetônicas [...] rápida e confiavelmente.

 
 --Benjamin Smedberg
Please open a ticket on GitHub to suggest improvements to this page. Thanks!